Personagem

Venom é o nome dado a diversos personagens do Universo Marvel. O nome refere-se a todos (exceto o Homem-Aranha e as crias da criatura conhecida como Carnificina) os hospedeiros do simbionte alienígena que foi trazido à Terra pelo herói aracnídeo (durante o evento das Guerras Secretas). Desde sua chegada a nosso planeta, já teve uma série de hospedeiros:

  • Homem-Aranha: Peter Parker encontrou a “nova roupa” durante as Guerras Secretas e depois a trouxe para Terra. Peter gostou de seu novo uniforme, mas ele percebeu que, ao usá-lo, estava ficando exausto com muita facilidade, além de ficar mais agressivo em ação. Ele procurou o Sr. Fantástico e descobriu que o uniforme era um ser vivo (anos depois na revista HomemAranha Anual, foi explicado que era um ser que não tinha emoções próprias e era viciada em adrenalina e por isso precisava de um hospedeiro que sentisse adrenalina para saciar o vicio) que potencializava as características do hospedeiro, Peter sente repulsa e pede para que o Sr. Fantástico auxilie na remoção do simbionte, ele é retirado mas foge e tenta um contato com Peter (até então ele não tinha se manifestado para Peter). Peter soube das fraquezas do simbionte (fogo e som) e acaba na torre de sinos de uma igreja, com o som dos sinos ele remove a criatura de seu corpo;
  • Eddie Brock: o Venom original. Era um fotografo fracassado, que passou por uma humilhação ao ser exposto como fraude pelo Homem Aranha, quando isso aconteceu ele perdeu seu emprego, um dia, ao confessar suas mágoas na mesma igreja onde Peter Parker tentava se livrar da criatura e, ao sair do corpo do HomemAranha o simbionte se sentiu traído e frustrado, sentindo a angustia de Eddie Brock e a raiva que ambos sentiam da mesma pessoa, eles se fundiram se tornando o primeiro Venom, e foi um dos primeiros a saber a identidade secreta do Homem-Aranha. Por anos, perseguiu o herói, quase matando-o em algumas oportunidades. Por fim, acabou abandonado pelo simbionte, devido ao câncer que desenvolveu. Apesar de ter sido um paciente terminal da doença, resquícios do simbionte alienígena sofreram mutação e curaram o câncer, além de transformar Eddie no Anti-Venom, inimigo do Venom atual;
  • Angelo Fortunato: este teve uma vida de crimes curta. Ele foi humilhado pelo pai que era criminoso e atacou o Homem-Aranha no Colégio. Após fundir-se ao simbionte e ser vergonhosamente derrotado pelo Homem-Aranha em batalha, o simbionte considerou-o um hospedeiro indigno e o abandonou durante uma queda, deixando-o morrer. Apareceu apenas em duas histórias em quadrinhos;
  • Mac Gargan: o Venom que vai aparecer nas séries dos Thunderbolts e da Guerra Civil. Ele é o antigo Escorpião, um dos piores inimigos do Homem-Aranha. Depois do Cerco de Asgard, Gargan e a maioria dos Vingadores Negros foram capturados em custódia. Depois de vários eventos, o simbionte foi retirado dele com sucesso;
  • Flash Thompson: depois de ir lutar na guerra no Iraque (junto de Leonardo Tres) e perder as duas pernas, o rival valentão de Peter Parker volta para os EUA e participa de uma operação especial que insere o simbionte nele. Concedendo suas pernas de volta, força e resistência sobre-humana, ele começa a agir como agente especial das Forças Armadas Americanas. Como sempre admirou o Homem-Aranha, seu uniforme é semelhante ao do Aranha Negro, só que com equipamentos militares;
  • Harry Osborn: na série animada Ultimate Spider-Man, a origem do simbionte é distinta, se baseando no DNA do Peter Parker capturado pelo Dr. Octopus. O simbionte – denominado Venom – tem vida própria e escapa do laboratório do Dr. Octopus, indo em busca de Peter Parker. Após confrontar o Homem-Aranha, Punho de Ferro, Luke Cage, Tigresa Branca e Nova no apartamento da família Osborn, o simbionte é contido, porém Harry Osborn encontra em seus aposentos uma amostra daquele e resolve guardá-lo. Em pouco tempo Osborn começa a fazer uso do simbionte, se tornando o Homem-Aranha Negro, porém o Venom passa a controlar a mente dele;
  • Groot: Quando a simbionte está no espaço, ele fundiu-se a ela e lutou contra os Guardiões da Galáxia;
  • Anne Weying: é a primeira She-Venom da Marvel Comics, ela era esposa de Eddie Brock;
  • Patricia Robertson: a detetive é a segunda She-Venom que apareceu na série do Venom (antes de ter que tratar seu câncer e deixar de ser Venom).

Fonte: Wikipedia

Detalhes da Peça

Embalagem: Vou repetir as palavras que já utilizei no review anterior de outra peça da linha Art Scale da Iron Studios (veja AQUI). Como vocês poderão conferir no vídeo no fim do post, a embalagem é um “apanhado das boas práticas” já adotadas pelas demais fabricantes, e não vejo isso como um crime, afinal, por qual razão não seguir uma fórmulaconsagrada? Extremamente compactas, as embalagens da linha Art Scale do Iron Studios apresentam a proteção necessária para uma peça de resina – combinando papelão, plástico, isopor e uma pequena manta de espuma. A arte da embalagem chama atenção, apoiando-se no conceito de reproduzir em suas laterais, o uniforme do personagem o qual abriga. Na parte superior da caixa está escrito um mote do personagem, no caso do VenomWe are Venom!“, que ficou conhecida por aqui como “Nós somos Venom!“. A parte frontal conta com uma tampa similar a uma porta (devidamente fixada por meio de dois velcros), no melhor estilo dos mini-bustos da Kotobukiya – ao abri-la é possível ver uma imagem do personagem no lado esquerdo e, no lado direito, uma pequena abertura de plástico para visualização da peça. Dentro da caixa, a peça fica acomodada em um isopor moldado a seu corpo que, junto a um blister plástico, mantém a figura presa, evitando que ela se movimente na embalagem. Na parte traseira desse mesmo isopor temos um encaixe para a base do personagem, otimizando assim, o tamanho da embalagem. Essa apresentação inicial do produto é um dos pontos fortes da linha (da até para expor a caixa junto).

IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (1)IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (4) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (3) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (5) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (7)

Escultura: o personagem parece sempre estar se contorcendo, muito parecido com o comportamento de um louco em uma camisa de força, só que no caso dele, sem camisa de força… e essa idéia foi representada com fidelidade pelos escultores do Iron Studios. Como não poderia faltar, a enorme língua (no melhor estilo Gene Simmons do Kiss) está presente, além de uma porção de dentes pontiagudos, os quais, me lembram algum tipo de peixe abissal. Gostei bastante do resultado estriado da musculatura, que é apresentado ao longo do corpo, dando a impressão de que não existe propriamente pele no personagem, e os feixes de músculo estão expostos.

IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (10) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (11) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (12)

Pintura: Eu particularmente achei o trabalho de pintura do Venom, superior ao apresentado no Wolverine. Acredito, até, que o mesmo seja mais desafiador de ser concebido. O uniforme é algo em mutação constante, como uma espécie de fluido viscoso que fica “escorrendo” sobre o personagem e isso foi transmitido no trabalho de pintura pela sobreposição de camadas, com aplicação de tons de preto, além da demarcação nos veios mais profundos da musculatura. O símbolo, tanto no peito como nas costas está muito bem executado, assim como os olhos e lançadores de teia. A coloração da língua e boca está com um brilho legal, que transmite a idéia de estar úmida. Pintura cumpre o seu papel sem desabono.

IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (19) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (21) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (25)

Articulações: A figura não possui articulações.

Acessórios: A figura não possui acessórios, porém, vou colocar aqui alguns detalhes sobre a base. O mesmo padrão se repete em todas peças da linha Art Scale, apresentando na sua parte central e frontal, o logotipo do nome do personagem. De cor única, a base ainda apresenta um (1) pino de fixação para prender a peça a base, o que deixa uma das pernas sempre solta e, ao meu ver, com o passar do tempo, pode causar riscos na base. A parte inferior conta com pequenas borrachinhas, para evitar o contato direto da mesma com o expositor.

IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (39) IRON_STUDIOS_TOY_REVIEW_ART_SCALE_VENOM_REVIEW (40)

Roupa/Vestimenta: Aquela gosma toda… não tenho muito o que falar além disso.

Ano de Lançamento: 2015.

Escala: 1/10.

Valor: o valor da peça gira em torno de R$ 270,00.

Onde Comprar: a figura utilizada nesse review nos foi cedida pelo Iron Studios pode ser encontrada em todas as lojas de colecionáveis em território nacional.

Video Review

Considerações Finais

Novamente, uma figura que mostra-se como uma boa alternativa aqueles que irão iniciar suas aventuras no mundo do colecionismo. Uma estátua, com qualidade condizente e com valor que faz frente aos articulados presentes no mercado. O resultado final da figura agrada e representa com fidelidade um dos mais clássicos inimigos do cabeça de teia. A linha Art Scale 1/10, se mantiver o padrão de qualidade, está mais do que recomendada!

Galeria de Imagens

 

 

Leave a reply