Personagem

Vampirella foi criada por Forrest J. Ackerman e Trina Robbins, fazendo sua primeira aparição em setembro de 1969 e sendo publicada por três editoras desde então: Warren Publishing (1969-1983), Harris Publications (1991-2010) e por fim, Dynamite Entertainment (2010 em diante).

Originalmente apresentada como uma habitante do planeta Drakulon, um mundo onde pessoas viviam a base de sangue e onde sangue corria em rios. Drakulon orbitava Sóis gêmeos que estavam causando secas pelo planeta, levando Vampirella e sua raça ao seu, inevitável, fim. A raça a qual Vampirella pertence, os Vampiri, possui o dom de transformar-se, de acordo com sua vontade, em morcegos, “brotar” asas quando necessário e beber sangue.

A história começa com os habitantes de Drakulon morrendo lentamente com a seca e escassez de sangue. Os últimos remanescentes morrem quando uma espaçonave vinda da Terra choca-se contra o planeta. Vampirella é enviada para investigar o ocorrido, é atacada, retaliando, descobre que os astronautas possuem sangue em suas veias. Pensando na sobrevivência de sua espécie, ela consegue pilotar a espaçonave de volta a Terra onde suas aventuras se iniciam. Vampirella se torna uma “boa” vampira, devotando sua energia para livrar nosso mundo dos espécimes “maus” de nossa raça.

A editora Harris Comics reviveu Vampirella na minissérie “Morning In America” (“Manhã na América”), escrita por Kurt Busiek. Logo após isso, ficou estabelecido que Vampirella sofreu uma lavagem cerebral feita por sua irmã e irmão (na história “Mystery Walk” ou, traduzindo livremente “Caminhada Misteriosa”) e levada a crer que ela não era do planeta Drakulon. Ela aprendeu que ela era, em realidade, filha de Lilith, cujos contos medievais judeus apontam como sendo a esposa de Adão. Lilith não se submetia aos desejos de Adão e por isso fora banida do Paraíso. Ela se acasalou com demônios no inferno, dando a luz a vampiros, os quais matariam a prole de Adão e Eva sobre a Terra.

Mais tarde, buscando sua redenção junto a Deus, ela deu a luz a Vampirella, a qual ela enviou a Terra com o desígnio de matar todos os vampiros maus. De acordo com esse relato então, Drakulon é parte do Inferno onde Lilith vivia e governava.

Contando com força sobre-humana, velocidade e ferocidade, Vampirella – como já mencionado – pode transformar-se em morcego e hipnotizar os humanos com seu olhar ardente. Diferente de seus irmãos vampiros, ela não possui fraqueza a luz do dia, água benta, alho, ou artefatos religiosos, porém, seu grande poder reside em sua beleza icônica e irresistível sensualidade.

Detalhes da Peça

Embalagem: Como sempre costumo comentar nos reviews de estátuas produzidas pela Sideshow Collectibles (sejam as Comiquettes ou as Premium Formats), não há muito como fugir a regra de “caixa de papelão”, “isopor”, “espuma” e “sacos plásticos” protegendo as partes da peça, o grande diferencial acaba sendo a arte da caixa de papelão em si. E nesse caso confesso que tive uma grata surpresa.

A ilustração contida na parte frontal da caixa remete a primeira edição de uma publicação em quadrinhos, contendo a numeração (lado esquerdo), a editora (lado direito) e os dizeres “Ela está esperando aqui dentro… por você” e “Esculpida para enfeitiçar e atormentar você!” – achei isso uma ótima sacada de quem desenvolveu a embalagem. As demais partes (lateral e traseira) contêm fotos da figura – sendo a das laterais vistas por meio de um vitral. Já a tampa apresenta o logo estilizado do nome da personagem e a base, informações de copyright e numeração da peça. Nada muito inovador, mas ainda assim funcional e condizente com a proposta – nem conservador e tão pouco, ousado demais.

Escultura: A figura é composta basicamente de seis peças, que unidas, dão vida a estátua (sete na versão exclusiva). Como se trata de uma personagem seminua, não existe há necessidade de um detalhamento absurdo nas vestes e o seu corpo “nu” está compatível com as curvas apresentadas nos quadrinhos (e as quais os marmanjos que lêem esse review adoram ficar babando em cima). Acredito que a escultura do rosto poderia ser um pouco mais delicada, porém essa pode ser uma falsa impressão minha (causada em sua maior parte pela maquiagem carregada – mas falaremos mais disso no tópico que comento sobre a pintura). A escultura transmite sensualidade, leveza nos movimentos (em especial nos cabelos e braços), mas o grande destaque, na humilde opinião deste que vos escreve, fica por conta do detalhamento da base, repleta de crânios, tentáculos (que tipo de besta mítica seria essa? Kraken? Cthulhu?) que envolvem suas pernas em um abraço infernal. Somam-se a isso litros de sangue escorrendo e uma “revoada de morcegos” (licença poética minha, pois não existe coletivo de morcego na língua portuguesa) que poderia ter sido um pouco mais bem trabalhada, mas que também não tira o brilho do conjunto representado por essa peça.

Pintura: A pintura segue o padrão de qualidade para as estátuas produzidas pela Sideshow Collectibles. Os olhos são o ponto fraco – aqui oficializo minha “implicação” com os artistas que executam a pintura para a Sideshow. A peça inteira tem uma pintura impecável, mas os olhos, devido à simulação de uma maquiagem mais carregada usada pela personagem (leia-se, sombra) acaba por fazer com que, de certos ângulos (especialmente quando olhada diretamente de frente) ela pareça ter sido maquiada por uma criança sem muita noção do que estava fazendo (e creio que esse seja o mesmo sentimento que alguns colecionadores tentavam expressar com relação as “pisadas-de-bola” na pintura da Rogue e Black Cat Premium Format, também produzidas pela Sideshow).  No fundo, isso não impacta na qualidade final do produto, mas deveria passar a ser um ponto de atenção para a Sideshow em seus próximos lançamentos, aprender a fazer maquiagens mais femininas, delicadas, elaborando/testando novas técnicas, etc.

Articulações: Não há (é uma estátua) e, por sinal, quase não há juntas aparentes na peça.

Acessórios: Não há acessórios (exceto pelos Morcegos que vão presos a base ou pela segunda cabeça caso estejamos falando da versão exclusiva).

Roupa/Vestimenta: Quem conhece a Vampirella sabe que “menos é mais”, ou seja, nada além do seu tradicional, minúsculo e sensual biquíni vermelho, com o já conhecido colarinho branco e morcegos dourados em partes estratégicas. Vale menção aos brincos, pulseiras e braceletes, muito bem executados, trazendo beleza ao conjunto.

Ano de Lançamento e Fabricante: 2011, Sideshow Collectibles.

Quantidade de peças produzidas: 350 (versão exclusive, a qual acompanha uma segunda cabeça, inclinada e mais “sensual”, além da arte conceitual da peça) e 1000 (versão regular).

Dimensões: 45,72cm (H) x 35,56cm (P) x 20,32cm (D); 3,63 Kg.

Escala: 1/5.

Valor: Atualmente você encontra a figura por R$ 1.299,00 (clique aqui e solicite seu cupom de desconto exclusivo da parceria ToyReview.com.br e Toyshop Brasil).

Onde Comprar: a figura utilizada nesse review foi adquirida em nossa loja parceira, a Toyshop Brasil (não se esqueça de solicitar seu cupom de desconto aqui).

Considerações Finais:

Há muito tempo era devido aos colecionadores e fãs dessa sensual personagem uma escultura que pudesse retratar todo o seu “sexy-appeal”. Ainda fico dividido entre qual está mais bonita, a Comiquette ou a Premium Format (embora tenda mais pela Comiquette – porém, sigo apaixonado pela base da Premium Format). Uma estátua que, com toda certeza, irá “Enfeitiçar e atormentar você”.

Nada mais justo como homenagem as mulheres no seu dia, do que um review de uma figura feminina que esbanja força, poder e sensualidade!

Galeria de Imagens

 

Leave a reply