Introdução

Recentemente tivemos a oportunidade de realizar uma breve entrevista com o sócio-fundador da Piticas, Felipe Rossetti. Nesse descontraído bate-papo, conhecemos um pouco mais sobre como surgiu a ideia da marca, suas primeiras licenças, expansão na América Latina e parcerias recentes.

A Piticas nasceu da ideia dos irmãos Felipe e Vinicius Rossetti, que após morarem por 10 anos nos Estados Unidos, retornaram ao Brasil em busca de uma oportunidade empreendedora. Com foco no desenvolvimento da criatividade e atentos a cada detalhe, fundaram a primeira loja em 2008. Com o crescimento da marca, eles começaram a investir em maquinários de última geração, construindo uma fábrica de 11 mil m² em Guarulhos. Desde então, a Piticas tornou-se uma das maiores fábricas de vestuário especializada em estampas da cultura pop do país, produzindo 30 mil camisetas por dia, com mais de 500 funcionários e mais de 300 lojas franqueadas espalhadas pelo país, além do e-commerce próprio na Internet. Hoje, os irmãos acompanham todas as etapas da produção, treinamento de funcionários e satisfação dos clientes por meio de seus consultores.

Vamos ao que interessa!

A Entrevista… (realizada em 26/03/2019) 

1. Sabemos que a Piticas foi fundada por você e seu irmão há mais de uma década. Como vocês decidiram / optaram por trabalhar com confecção de camisetas? 

(FR) Tínhamos a ideia de profissionalizar o mercado de licenciamento em vestuário no Brasil. Após dez anos dedicados aos estudos nos EUA e com apenas 5 mil reais no bolso iniciamos a tão sonhada carreira empreendedora, o montante inicial foi investido em 130 camisetas, estampadas com frases de humor. Durante um ano não tiraram nenhum dinheiro do negócio: todo lucro era usado para comprar novas peças e estampa-las.

2. Após essa decisão, como foram negociadas as licenças – qual foi a primeira licença que produziram? Houve algum tipo de dificuldade ou desconfiança?

(FR) Em 2013, a Nickelodeon foi a primeira marca a nos conceder um contrato de licenciamento, licenciando Bob Esponja, Patrick, e Lula Molusco. O processo de licenciamento é bem complexo, existem milhares de diretrizes e regras para cumprir tanto na criação das artes, quanto na produção das mesmas. A grande virada na vida da empresa ocorreu em 2015, quando conseguimos a licença da marca Disney para produzir e comercializar suas franquias, a Disney que é reconhecida por ser a maior licenciadora do mercado. Nesse momento, a Piticas mudou de patamar no mercado de licenciamento, e muitas portas se abriram.

A maior dificuldade enfrentada com certeza foi o licenciamento. Como éramos pequenos em volume de produção e número de lojas, as grandes marcas licenciantes do mercado não nos enxergavam como possíveis futuros licenciados, somente após a entrada na Nickelodeon em 2013, que as portas começaram a se abrir. Hoje, com um mercado de cultura pop crescente e em evidência, muitas marcas estão tentando se aproveitar e entrar neste nicho, portanto nós fazemos inúmeras ações de marketing e branding, para nos consolidar como a marca que nasceu Geek, e que não só entende o gosto dos fãs de cultura pop, mas que entende o coração dessa legião de fanáticos!

3. Quando vocês perceberam que o seu modelo de negócio estava funcionando / dando certo? Depois de quanto tempo vocês decidiram adotar o modelo de franquias (como funcionam os treinamentos e controle do padrão de qualidade dos franqueados)?

(FR) Em 2017, o foco da empresa mudou e nos tornamos 100% franquia, e todas as lojas próprias foram repassadas aos franqueados. Isso aconteceu pois já havíamos chegado em 250 lojas, e com uma fábrica de mais de 11 mil m2, decidimos focar no que realmente levaria a Piticas às 800 lojas, que é nosso objetivo até 2022, fornecendo um suporte ao franqueado profundo e inteligente, com uma produção eficiente e de ótima qualidade.

Automação e premiação da equipe é a receita da nossa produtividade. No início de 2018, a empresa investiu R$ 5 milhões no sistema de etiquetas RFID, fazendo com que todas as unidades e a fábrica matriz tenham controle em tempo real dos produtos em estoque na rede. Produzimos de 17 a 19 mil camisetas por dia, abastecendo o país inteiro. Somos uma empresa 100% nacional, e tem absoluto controle de todos os processos, desde a produção dos tecidos, até a administração das franquias.

Uma ferramenta eficaz no suporte às franquias é a consultoria que oferecemos. Desenvolvemos um acompanhamento estratégico com franqueados que apresentavam baixo faturamento, auxiliando na organização de fluxo de caixa, geração de estoque, divulgação local da marca e aproveitamento das datas sazonais do comércio para alavancar as vendas. No Rio de Janeiro, por exemplo, a equipe de consultoria Piticas acompanhou o franqueado durante um mês, gerando resultados positivos para aquela unidade.

4. Como é feita a escolha das licenças? Quantas coleções são lançadas por ano?

(FR) As licenças são escolhidas em cima de demanda mesmo, como nós já temos as maiores, ficamos atentos para entender quais novidades estão surgindo. Normalmente as novas licenças já fazem parte de alguma licença que já temos, ou seja, precisamos apenas fazer um adendo ao contrato vigente. Lançamos em média 8 novos modelos por mês.

Os lançamentos de filmes e séries relacionados às licenças que possuímos, como Disney, Warner, Marvel, DC Comics, Cartoon Network, e os eventos do universo Geek, norteiam as coleções produzidas e lançadas no decorrer do ano.

5. Vocês já pensaram em exportar seus produtos para outros países da América Latina?

(FR) Existe um planejamento de abrir unidades no exterior começando por Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile, EUA e Portugal, a meta é testar o mercado e chegar a 30 lojas abertas no exterior até o final de 2020.

6. Como surgiu as parcerias para venda das peças da Funko e produtos Rider nas lojas e quiosques da Piticas?

(FR) A Piticas fechou a parceria com a Funko em 2018, passando a ser distribuidora oficial da marca no Brasil. Infelizmente, temos um problema grave no país com a pirataria e a entrada de produtos sem as certificações necessárias, pois muitos trazem por rotas ilegais, como o Paraguai. Nós trazemos com todos os processos 100% legalizados, e com isso ganhamos a confiança da Funko. Por esse motivo, a partir de Abril, a Piticas começa a trazer Funkos exclusivos somente para nossa rede de lojas.

Acredito ser importante para qualquer marca ter parceiros de alta qualidade e relevância, foi disso que nasceu a parceria com a Ryder. Queríamos muito entrar no nicho de calçados Geek, porém não tínhamos o know how, nem maquinário para produção, muito menos queríamos perder o foco do que fazemos bem, que é vestuário. Portanto, fizemos a parceria com a Ryder, no qual, eles produzem nossos chinelos, assim temos certeza de um produto de alta qualidade, e tendo a assinatura de uma marca consolidada no mercado. Foi a parceria perfeita.

Agradecimentos

Agradecemos enormemente a Felipe Rossetti pela entrevista e por todo apoio da Fabiene Mattos (NB Press) que nos auxiliou a conseguir um espaço na agenda do empresário!

 

Leave a reply