Muitos dizem que Castlevania: Symphony of the Night é o melhor jogo da franquia feita pela Konami. Não foi nele a primeira aparição de Alucard – o filho “meio-vampiro” de Drácula – na série. Mas foi nesse a primeira vez que pudemos ver sua versão de cabelos brancos empunhado uma espada. A Mondo está celebrando o quão fantástico esse personagem é em uma estátua medindo aproximadamente 41 cm, cujas vendas se iniciaram no dia 01 de fevereiro.

Serão disponibilizadas duas versões da estátua: a versão “regular” por USD 300,00 e a versão “exclusiva” do site da Mondo por USD 305,00. A versão “exclusiva” virá com um terceiro braço intercambiável, segurando um escudo com o brasão de Alucard esculpido em sua face. Mas como é que essas estátuas são feitas e como que o produto final se parece?

Nós conversamos com o Diretor Criativo da Mondo, Brock Otterbacher sobre o processo de criação dessa peça, partindo de sua arte conceitual ao produto final, incluindo fotos detalhadas da peça finalizada de Alucard. Se você está interessado em ver como ficou a peça final, você pode ir diretamente ao fim da página e checar a “Galeria de Imagens“.

Fonte: Gamespot

Baseado na Arte de Ayami Kojima

Quando a Mondo começou a trabalhar com a Konami alguns anos atrás, Brock Otterbacher queria fazer algo relacionado a Symphony of the Night e logo percebeu que o melhor caminho seria Alucard. A Mondo começou seu trabalho analisando a arte de Ayami Kojima – ela foi a artista responsável por Symphony of The Night, bem como outros jogos de Castlevania e da franquia Dynasty Warriors.

Sua arte sempre foi muito inspiradora para mim“, contou Otterbacher. “Eu sempre parava e dava uma olhada em sua arte, em especial a feita para o jogo. E essa imagem em particular sempre me chamou a atenção, uma imagem que era de Alucard. Sua capa era parte morcego, parte lobo, e essa foi a imagem que diretamente nos inspirou para a peça.  Isso foi feito anos atrás, e eu ficava pensando, ‘Uau, eu adoraria algum dia ter a oportunidade de fazer uma estátua a partir dela‘”.

Uma antiga Arte Conceitual da Mondo

 Arte Conceitual

A partir disso, a Mondo requisitou o talento da artista Sara Diesel. “Ela tinha um bocado de peças realmente bonitas sobre arte fantástica, que eu claramente podia nos ver aplicando aquilo que nós queríamos fazer, então ela era a pessoa certa para o trabalho“, disse Otterbacher.

Alguns dos elementos da estátua eram mais difíceis de se reproduzir com resultado satisfatório quando comparados com outros, de acordo com Otterbacher. “A grande sacada, então, seria como reproduzir a estética e o visual do lobo na névoa e, depois, a capa“.

Arte Conceitual “Colorida”

 

Modelo 3D

Após a arte conceitual, o time seguiu em frente com um modelo em 3D, o que foi feito digitalmente. “Algumas vezes nós os fazemos da maneira tradicional, dependendo no que ou com quem estamos trabalhando“, explicou Otterbacher. “Nesse caso, devo admitir que esse produto teve um ciclo de vida atipicamente longo, meio que pela razão de que queríamos fazer as coisas em nosso próprio tempo“.

Começando a partir do conceito 2D para termos a escultura pronta, podemos facilmente levar de dois a três meses“, continua Otterbacher. “Esse cronograma é bem justo e não inclui as revisões“.

Modelo 3D das Partes Separadas

Juntar todas as peças de uma escultura digital toma um pouco de tempo, de acordo com Otterbacher. “Nesse caso, sendo uma escultura digital, você precisa que ela seja impressa, então você precisa limpar e ajustar essas peças, depois você precisa ajustar e criar os moldes para reprodução. Você tem múltiplas peças e precisa que todas elas sejam pintadas. Então, isso geralmente nos leva a um processo de quatro a cinco meses para termos um protótipo completo e finalizado. As vezes conseguimos acelerar o processo e ter isso em menos tempo, mas para algo como esse projeto em questão, nos foi tomada uma quantidade razoável de tempo“.

Modelo 3D da versão “Exclusiva Mondo”

Otterbacher nos contou como a versão “exclusiva” acabou sendo posta em pauta. “Eu estava conversando com o escultor, Matthew Black, estávamos apenas batendo papo, e eu meio que, ‘Oh, eu adoraria descobrir como seria fazer uma mão ou braço alternativos para a peça‘. E logo pensei, ‘Bem, vamos fazer o escudo‘, e ele me disse, ‘Bem, eu não sei, pela maneira como a espada está posicionada, ela pode acabar colidindo com o escudo‘”.

Estátua Alucard Finalizada “Exclusiva Mondo”

Esse é o visual final de Alucard na versão Exclusiva Mondo, a qual inclui uma mão intercambiável segurando o escudo de Alucard.

 

Close do escudo da versão “Exclusiva Mondo”

“Quando começamos a trabalhar no protótipo – pois nós tínhamos o escudo – nós descobrimos como fazer para que o escudo e a espada não conflitassem entre si”, disse-nos Otterbacher. “Nós queríamos que o escudo fosse exclusivo. Ele é fantástico, então por qual razão não adicionarmos uma mão com adaga como um extra para a versão “regular“, desse modo, teríamos ao menos duas maneiras diferentes de expor a figura”. 

Mão Direita Intercambiável

Em ambas as versões “regular” e “exclusiva” de Alucard, a peça vem acompanhada de uma mão direita intercambiável, com Alucard lançando uma adaga. “Em uma das artes conceituais de Ayami Kojima, Alucard está lançando uma adaga“, disse Otterbacher. “Então [Matthew Black] pegou isso, e meio que, ‘O que vocês acham disso?’ e ele foi lá e fez e ficou FUDIDO. Sensacional. Quando você vê a peça ao vivo, parece que a adaga realmente está saindo de sua mão“.

A Capa de Alucard

A parte mais desafiadora dessa estátua acabou por ser a capa, cujas transições em uma cabeça de lobo e em um morcego, até que a capa continue, tornando-se névoa na base da escultura. “Mireya Romo-Bowen foi nossa pintora para essa parte da estátua, e ela, sendo uma grande, enorme fã de vampiros, estava como, ‘Eu quero fazer isso‘”, explicou Otterbacher. “A parte complicada era [que] é uma pintura em uma parte sólida, não há nada, não existe luz atravessando a peça e, uma vez que você chega na parte onde há névoa, é onde começamos a apagar e temos uma espécie de transição“.

Desafios com a Transição da Capa

“O desafio que Romo-Bowen teve foi justamente em como misturar, cobrir e atingir a opacidade necessária nesse trabalho, para que, quando você estiver fotografando sua peça, não veja uma série de bolhas“, detalhou Otterbacher. “Se você olhar de perto, ao vivo, você vai enxergar essas imperfeições, ao menos no protótipo. Mas ainda temos que fazer com que a capa seja translúcida , mesmo quando temos esse tom cinza/arroxeado da névoa ou ainda a névoa abraçando partes da capa. Então isso foi uma loucura e tomou-nos muito tempo e paciência para solucionar esse problema e, por fim, chegarmos ao resultado final que gostaríamos“.

Criando uma Capa Translúcida

Houve uma série de desafios com essa capa durante a fase de criação do protótipo. “Nós temos essa capa que vai ao redor da peça, e nos precisávamos que ela fosse em sua maioria, sólida“, detalhou Otterbacher. “Nos precisávamos encontrar partes onde pudéssemos interromper seu movimento e irmos para sua parte translúcida. Uma vez que não queríamos que ela fosse inteiramente translúcida e depois pintar somente sobre uma das partes, simplesmente pelo fato de que é muito complicado fazer coisas transparentes e não iria funcionar desse jeito. Então o problema que tínhamos era de que o material gerava uma série de bolhas dentro da capa, igual o que tivemos durante o processo do protótipo. Novamente, ainda estávamos fazendo um protótipo, mais avançado, e não produzindo a peça final. Então nós tivemos esse enorme problema com as bolhas – que foi corrigido –  e passamos por todo tipo de trapalhada que você nunca imaginaria quando se trata de uma produção profissional“.

A Estátua Finalizada

O que mais animava Otterbacher era a possibilidade de trazer um Alucard em 360 graus que realmente se parecesse com o personagem do jogo, e como isso revelaria o que de fato Alucard é. “Ele é muito nobre, o tipo de pessoa que você acha bonita logo de cara, e a ideia era de que você pudesse ver sua outra face conforme fosse virando a peça, pouco a pouco, como se fosse uma revelação. Pois temos um ângulo pelo qual você pode olhar e você não verá absolutamente nada de “anormal” e essa é justamente a parte legal da peça. É uma peça estonteante… Ele é um personagem com trejeitos muito similares aos de um anime, mas conforme você vai virando-o, começa a ver seu lado monstruoso. Conceitualmente, este é Alucard“.

 

Galeria de Imagens

 

 

 

Leave a reply