Bayonetta | Garage Kit – Volks [Review]

Personagem

Bayonetta é um jogo de ação para Xbox 360 e PlayStation 3, dirigido por Hideki Kamiya, diretor de outros jogos como Devil May CryOkami Viewtiful Joe. O jogo foi desenvolvido pela Platinum Games, desenvolvedora recém-fundada (criadora de Madworld para Wii) e contou com a publicação pela Sega (também foi responsável pela versão para PS3). Seus personagens foram desenhados com estilo moderno e fashion em mente, enquanto a sua música é amplamente otimista e feminina. Bayonetta é um dos poucos jogos que já conseguiram a nota máxima (40/40) na conceituada revista japonesa Famitsu.

O jogo começou a ser desenvolvido em torno de janeiro de 2007, e foi lançado no Japão no final de outubro de 2009. Ele foi promovido através de um comercial de televisão, com música de cantora pop japonesa, Michi, um concurso de sósias, um tema para o navegador Google Chrome, um livro de imagens e trilhas sonoras. Opiniões críticas de versões pré-lançamento elogiaram seus movimentos facilmente aprendidos, ritmo rápido, batalhas de chefes, “Witch mode – mecânico de desaceleração” e design de personagens e fases. No entanto, lamentou-se que as taxas de frame inconsistentes, problemas gráficos e técnicos em sua versão de PS3, bem como a sua utilização de ângulos de câmera em ambas as versões. A sequênciaBayonetta 2, foi anunciada exclusivamente para Wii U, distribuído pela Nintendo.

A trama do jogo toma como cenário Vigrid, uma cidade ficcional na Europa. A personagem principal é uma bruxa com o poder de mudar de forma, além de utilizar-se de diversas pistolas em conjunto com ataques mágicos que ela realiza utilizando seu próprio cabelo para evocar demônios que dão cabo de seus oponentes. Desperta após um sono de 500 anos (ou meio milênio, como preferir), ela se encontra em um local desconhecido e sem memórias do que ou de quem ela é. Com o passar do tempo, ela começa a lembrar da razão pela qual está em maus-lençóis, 500 anos antes, no incidente o qual causou a sua perda de memória, existiam duas facções preservando o equilíbrio entre luz e trevas no mundo: as Bruxas da Umbra (Umbra Witches), as quais eram seguidoras das Trevas e as suas contrapartes, a Bruxas da Lumen (Lumen Witches), seguidoras da Luz. As facções compartilhavam dois tesouros, os “Olhos do Mundo” (“Eyes of the World”, sendo duas relíquias: o “Olho Direito” e o “Olho Esquerdo”), os quais eram utilizados para observar a passagem do tempo. Ambas as facções desapareceram de Vigrid em circunstâncias misteriosas. No entanto, Bayonetta ainda possui uma joia ornamental que contém uma pequena gema vermelha, a qual acredita que seja o “Olho Esquerdo” dos “Olhos do Mundo”. Enquanto busca pelo “Olho Direito”, ela constantemente tem flashbacks que a fazem lembrar-se de como ela chegou até ali.

Um personagem masculino conhecido como Luka havia conhecido Bayonetta quando criança e agora demonstra uma eventual atração afetiva pela bruxa. Temos também outros personagens como a sua rival e seguidora, a  Bruxa da Umbra – Jeanne, a qual empunha quatro pistolas, assim como Bayonetta; Rodin, proprietário de um bar chamado “Gates of Hell” (“Portões do Inferno” – no qual sempre está tocando Jazz de ótima qualidade) onde Bayonetta pode adquirir uma série de armas e itens; o informante conhecido como Enzo, o qual parece fisicamente com o ator Joe Pesci (famoso pela série “Máquina Mortífera”), o qual provém uma veia cômica a trama; uma jovem garota chamada Cereza, a qual encontra a Bayonetta logo no início da trama; além do principal antagonista da trama, Balder.

A dimensão a qual Bayonetta habita é que nos apresenta os diferentes cenários, devidamente inspirados na Divina Comédia de Dante: Paradiso (Paraíso), o qual geralmente toma forma por meio de um vale celestial nas cores amarela e dourada ou de um palácio e é a casa dos inimigos conhecidos como “anjos”; Purgatorio (bem, humm… Purgatório), um meta-reino que funciona como um meio-termo entre os reinos meta-físicos, coexistindo em paralelo com o plano onde os humanos residem (geralmente esse ambiente tem uma aparência translúcida, quase aquática) e o Inferno (nem precisa traduzir) o qual é o reino infernal que contém todos os demônios, de todas as raças, os quais a Bayonetta eventualmente conjura em suas magias. Uma análise mais detalhada revela que as Bruxas na verdade sugam a maior parte de seus poderes dos Demônios que se encontram no Inferno.

Ficou curioso (a)? Quer saber mais? Jogue o jogo e leia o review!

Detalhes da Peça

Embalagem:  Pense em uma caixa de papelão marrom, cheia de plástico bolha e pedaços de isopor para proteger as dezenas de pecinhas de resina que compõem um “Garage Kit”. Para quem sempre compra figuras prontas ou que requerem pouca habilidade para montar, posso descrever que foi a “visão do inferno”. Como não sou um cara que gostaria que vocês tivessem pesadelos, não vou compartilhar nenhuma imagem dessa cena triste.

Escultura: Acho importante, antes de avançar com a análise, dar uma breve descrição do que é um “Garage Kit“, uma vez que nem todos podem estar familiarizados com o termo. “Garage Kits” (“Kits de Garagem“) são produções amadoras de kits de modelos (pequenas esculturas).O termo se originou de colecionadores frustrados por não acharem modelos sobre os temas que queriam, então passaram a produzir modelos eles mesmos. Como o processo de esculpir, polir e pintar produz muita sujeira e poeira, a maioria dos escultores usavam suas próprias garagensdaí surgiunome. No início esses kits eram vendidos e trocados entre os colecionadores em convenções, assim como o Wonder Festival, desde então eles têm ganhado popularidade e agora há um grande número de companhias, incluindo Federation Models, Volks, WAVE/Be-J, Kaiyodo, Kotobukiya, e o B-club, produzindo esse tipo de kits profissionalmente.  Isto posto, posso afirmar que a escultura da peça foi muito bem realizada, com uma ótima representação dos movimentos da personagem. Cada curva, cada detalhe do uniforme, das pistolas, está tudo ali representado com maestria.

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (2)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (5)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (11)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (19)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (29)

Pintura: O Kit vem totalmente sem pintura e como, além de daltônico, não tenho destreza alguma, contratei um ótimo profissional para executar a montagem e pintura da peça. O resultado final impressiona, seja pela transparências nos seios, pelo traço firme nos detalhes em dourado ou pela pintura dos olhos.

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (7)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (36)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (46)

Articulações: Não possui (é uma estátua).

Acessórios:  A figura em si não acompanha acessórios, embora possamos enquadrar nessa categoria as pistolas e as fitas no cabelo da nossa deliciosa bruxa.

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (3)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (4)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (12)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (20)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (45)

Roupa/Vestimenta: O kit apresenta o uniforme clássico da personagem em todos os seus detalhes. Um dos pontos fortes, em minha opinião fica por contanovamente – da transparência nos seios (as quais, decididamente, não me recordo de existir no jogo) e das correntes e adereços em dourado. É claro, como não poderia faltar, o famoso par de óculos de “bibliotecária fogosa” também está lá.

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (22)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (25)

Bayonetta_Volks_V2_ToyReview.com (30)

Ano de lançamento e Fabricante: 2010, Volks.

Quantidade de peças produzidas: Não existe informação oficial sobre a quantidade de peças fabricadas, mas temos aqui um fatoragravante“, pois um “Garage Kit” pode ser facilmentepirateado” e, como não existe certificado de autenticidade ou numeração, vai ser difícil você saber se tem um original, ou uma cópia.

Escala: 1/6.

Valor: Na data de lançamento esse kit era vendido por USD 100,00.

Onde Comprar: jeito é ficar caçando em sites de leilões online ou sites especializados no Japão, boa sorte!

Considerações Finais

Uma das personagens mais sensuais que surgiu no mundo dos games na última década, transitando entre o sensual e o quase pornográfico em um bombardeio sensorial que fará qualquer adolescente com os hormônios em efervescência passar horas trancado no banheiro (ou quarto). Sem dúvida, uma ótima opção para aqueles que desejam ter uma peça da personagem e tenham aptidão – ou estejam dispostos a pagar alguém que a tenha – para lidar com o mundo dos “Garage Kits“. Movimentos, expressões e provocação na medida certa para sua coleção, recomendadíssima!

Galeria de Imagens

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.